Orçamento Participativo: Lisboa decide

A Junta de Freguesia do Beato ajudou na divulgação de 4 propostas de cidadãos

O Orçamento Participativo tem sido considerado uma excelente prática de governação, pois fomenta a participação activa dos cidadãos. A Câmara Municipal de Lisboa apostou na inovação, e fomentou a participação de todos. O objectivo foi claro: querer que os cidadãos participem na gestão autárquica.

Foram submetidas a votação muitas propostas, num valor máximo de 5 milhões de euros, sendo as mais votadas, integradas na proposta de orçamento e plano de actividades municipal do próximo ano.

O Orçamento Participativo aproxima o executivo municipal das necessidades e desejos da população de Lisboa.

A Junta de Freguesia do Beato realizou no mandato passado algumas formas de participação civica semelhantes, como foram os casos dos Governos Participativos do Beato.

Este ano, compreendendo a importância de que uma iniciativa neste âmbito tem na gestão da cidade, a Junta de Freguesia quis associar-se a 4 propostas, feitas por cidadãos, e ajudou na sua diuvlgação.

A primeira proposta foi a criação de um parque infantil na Rua Nascimento Costa, que se encontra previsto no Plano de Recreio inserido no Plano de Espaço Público e Espaço Verde de Lisboa.

A segunda proposta foi o Projecto de Iluminação Pública do Bairro da Picheleira, essencial para a segurança da população deste bairro da Freguesia do Beato.

A terceira proposta foi o Plano de Requalificação do Bairro do Grilo, nomeadamente o espaço expectante, sito entre a Rua da Quinta da Aduela e a Travessa da Ilha do Grilo, que espera por uma intervenção da CML desde alguns anos a esta parte.

Finalmente, a quarta proposta diz respeito à recuperação do magnifico espaço do Teatro Ibérico. Esta proposta ficou a escassos votos de ser seleccionada.