Diálogo com a Carris continua

A Junta de Freguesia do Beato, como foi noticiado no Boletim Informativo “O Beato”, no mês de Junho tem vindo a desenvolver diversas diligências junto da Car­ris, para que surgissem informações concretas sobre todas as alterações que as carreiras e os percursos que atravessa a Freguesia. Na base de todo o diálogo e de todos os ofícios que foram enviados, esteve sempre presente o facto de se consi­derar que o Beato já foi demasiadas vezes prejudicado, e que a actual rede de transportes assegurada pela Carris cumpre apenas os mínimos essenciais na Freguesia.

De forma a se obterem conclusões significati­vas, também para que terminassem alguns boatos, que circulavam, realizou-se recentemen­te uma reunião entre o Presidente da Junta de Freguesia do Beato, Hugo Xambre Pereira, e o Engenheiro José Maia, Director da Carris.

Confirma-se para sa­tisfação da população é que a carreira 720 não vai terminar, tendo sido feito um estudo sobre o número e a frequência de passageiros, apenas por motivos estatísticos. As carreiras 742 e 759 vão manter a mesma frequência, sendo que a novidade é que podem vir a ser introduzidos mais autocarros. Uma das preocupações que o Presidente da Junta de Freguesia do Beato mostrou na reu­nião, foi a não ida da carreira 40 à Picheleira, tendo solicitado alternativas que compensassem a população. A Carris con­tinua a argumentar que o percurso da carreira 40 pode ser feito através de outras carreiras e também através do metro­politano. Outra preocupação é a zona do Beato ser servida de poucas carreiras, sendo que há mais de 2 anos que têm vindo a ser propostas soluções, como por exemplo as carreiras que hoje existem na Avenida Infante Dom Henrique, passarem a ser feitos por dentro do Beato, respondendo de uma forma mais eficaz às necessidades da população. Também foi pro­posto que a carreira 39 passasse a funcionar ao fim-de-se­mana e a ir até Santa Apolónia, tal como o 718 aumentar a sua frequência. A Carris anunciou nesta reunião que irá co­locar painéis informativos do tempo de viagem na Freguesia do Beato. Todas estas propostas são o resultado da vontade que a Junta de Freguesia tem demonstrado em resolver a questão das acessibilidades e rede de transportes no Bea­to, em especial nas que são responsabilidade da Carris.

Embora adepto do diá­logo aberto e descom­plexado, Hugo Xambre Pereira, em declarações ao Boletim Informativo “O Beato” declarou estar “com alguma expectati­va. Eu defendo a utiliza­ção de transportes públi­cos, mas estes têm que assegurar o preenchimento das necessidades das pessoas. Constato que quer a Junta do Beato, quer outras Juntas em Lisboa têm uma relação difícil com a Carris. A Carris deveria ser muito mais dialogante”. Concluiu subscrevendo as decla­rações do Presidente da CML, António Costa, afirmando que “não faz sentido a CML e as Juntas não terem uma voz mais activa nestas tomadas de decisão. A Carris acaba por ter a faca e o queijo na mão, quando deveria ser bem mais dialo­gante”.